Reações adversas Vacinas

Até o momento, o Municipio de Crissiumal recebeu quatro tipos de vacina contra a Covid-19 liberadas para uso: 

·         Coronavac;

·         Janssen;

·         Oxford/AstraZeneca;

·         Pfizer/Biontech.

 

Saiba mais sobre cada uma delas:

 

Coronavac

Pesquisadores do Instituto Butantan, que liderou os testes com a CoronaVac no Brasil, divulgaram que a eficácia geral da vacina foi de 50,4% em voluntários que receberam duas doses com intervalo de 14 dias. O instituto também informa que a vacina foi 78% eficaz na prevenção de casos leves de Covid-19 e 100% em evitar quadros moderados e graves.

O laboratório Sinovac informou ainda que um estudo clínico com a CoronaVac realizado no Brasil mostrou que o imunizante foi mais eficaz em um pequeno grupo que recebeu a segunda dose do fármaco com um intervalo maior, chegando à taxa de proteção de 70% com um período de três semanas entre as doses.

A Secretaria da Saúde recomenda que a segunda aplicação da Coronavac ocorra 28 dias depois da primeira.

Reação muito comum: dor no local da aplicação;

Reação comum : cansaço, febre, dor no corpo, diarreia, náusea, dor de cabeça;

Reação incomum: vômitos, dor abdominal inferior, distensão abdominal, tonturas, tosse, perda de apetite, reação alérgica, pressão arterial elevada, hipersensibilidade alérgica ou imediata.

 

Janssen

 

O principal diferencial da Janssen, da Johnson & Johnson, em relação aos demais já disponíveis é a necessidade de apenas uma dose, atingindo eficácia de até 85% para casos graves da doença depois de 28 dias da aplicação. A eficácia global da vacina para casos leves, de acordo com a bula, é 67% em todos os indivíduos.

Muito frequentes:cafaléia, náusea, mialgia, fadiga, dor no local da injeção.
Frequentes: tosse, artralgia, eritema no local da injeção
Pouco frequentes: tremor, espirros, dor orofaríngea, fraqueza muscular, mal estar geral.
Raros: hipersensibilidade, urticária
Muito raros: Trombose em combinação com trombocitopenia

 

 

Oxford /AstraZeneca

 

A vacina da Oxford/AstraZeneca, que tem no Brasil acordo com a Fiocruz, tem a segunda dose prevista para 12 semanas após a primeira.

A eficácia da vacina da Oxford/AstraZeneca é de 82,4% após a segunda dose.

Muito Comum: Sensibilidade, dor, sensação de calor, vermelhidão, coceira, inchaço ou hematoma (manchas roxas); onde a injeção é administrada; Sensação de indisposição de forma geral; Sensação de cansaço (fadiga); Calafrio ou sensação febril; Dor de cabeça; Enjoos (náusea); Dor nas articulação ou dor muscular.
Comum: Um caroço no local da injeção; Febre; Enjoos (vômitos); Sintomas semelhantes aos de um resfriado como febre alta, dor de garganta, coriza (nariz escorrendo), tosse e calafrios.
Incomum: Sensação de tontura; Diminuição do apetite; Dor abdominal; Linfonodos (ínguas) aumentados; Sudorese excessiva, coceira na pele ou erupção na pele.

 

Pfizer/Biontech

 

As doses da vacina da Pfizer/Biontech precisam ser mantidas congeladas a uma temperatura de -80 ºC, sendo necessário o uso de ultrafreezers. O seu transporte e armazenamento requer caixas próprias com 31 quilos de gelo seco, onde podem ficar armazenadas por até 30 dias, desde que o gelo seco seja trocado a cada cinco dias.

Por até 14 dias podem ser mantidas a -20ºC, temperatura atingida por um freezer comum. Depois de descongeladas, podem ser mantidas por até cinco dias em refrigeração entre 2ºC e 8ºC (geladeira comum). Isto dá uma vida útil de até 49 dias após a retirada do ultrafreezer.

Uma vez levada às geladeiras comuns ou refrigeradores, elas não poderão ser congeladas novamente. Para a aplicação, cada frasco com seis doses deverá ser diluído com soro fisiológico injetável, e pode permanecer à temperatura ambiente por até oito horas (duas antes da diluição e seis depois). O laboratório recomenda a aplicação com um conjunto de agulha e seringa chamado de “baixo volume morto”, para ter o menor desperdício possível do líquido e os vacinadores conseguirem extrair todas as seis doses de cada frasco.
Para o esquema vacinal completo, serão necessárias duas doses com um intervalo de 21 dias ou mais. A melhor resposta, de acordo com a Pfizer, é com exatos 21 dias, mas, se passar, não há erro vacinal.

A eficácia da vacina, de acordo com o produtor, é de 95%.

Como todas as vacinas, a ComirnatyTM pode causar efeitos secundários, embora estes não se manifestam em
todas as pessoas.
Reações muito comuns: dor e inchaço no
local de injeção, cansaço, dor de cabeça, diarreia, dor muscular, dor nas articulações, calafrios e febre.
Reações comuns: vermelhidão no local de injeção, náusea e vômito.
Reações incomuns: aumento dos gânglios linfáticos (ou ínguas), reações de hipersensibilidade [por exemplo, erupção cutânea (lesão na pele), prurido (coceira), urticária (alergia da pele com forte coceira), angioedema (inchaço das partes mais profundas da pele ou da mucosa)], diminuição de apetite, dor nos membros (braço), insônia, letargia (cansaço e lentidão de reações e reflexos), hiperidrose (suor excessivo), suor noturno, astenia (fraqueza, cansaço físico intenso), sensação de mal estar e prurido no local de injeção.
Reação rara: paralisa facial aguda.